Advertisement

Advertisement

A herança é um tema crucial no direito sucessório, abrangendo a transferência de bens, direitos e obrigações de uma pessoa falecida para seus herdeiros.

Neste artigo, vamos esclarecer os principais pontos relacionados à herança, abordando desde conceitos básicos até procedimentos legais, tipos de herdeiros, partilha de bens e questões fiscais.

Entender esses aspectos é fundamental para lidar com questões sucessórias de maneira eficiente e de acordo com a lei.

Advertisement
Advertisement

Conceitos Fundamentais de Herança

O que é Herança?

Herança refere-se ao conjunto de bens, direitos e obrigações que uma pessoa deixa após sua morte. Esse acervo é transferido para seus herdeiros, definidos por lei (herdeiros legítimos) ou por testamento (herdeiros testamentários).

Sucessão

Advertisement
Advertisement

Sucessão é o procedimento através do qual ocorre a transferência da herança. Pode ser legítima, quando segue a ordem estabelecida pelo Código Civil, ou testamentária, quando existe um testamento ditando a distribuição dos bens.

→ VEJA TAMBÉM: Os Homens Mais Ricos do Mundo e do Brasil em 2024

Tipos de Herdeiros

Herdeiros Legítimos

Os herdeiros legítimos são determinados por lei e organizados em classes conforme a proximidade do parentesco com o falecido:

  1. Descendentes: Filhos, netos, bisnetos, etc.
  2. Ascendentes: Pais, avós, bisavós, etc.
  3. Cônjuge/Companheiro: Marido, esposa ou companheiro de união estável.
  4. Colaterais: Irmãos, sobrinhos, tios, etc.

A prioridade na vocação hereditária é dos descendentes e do cônjuge, seguidos pelos ascendentes e, por último, os colaterais.

Herdeiros Testamentários

Os herdeiros testamentários são aqueles designados pelo falecido em seu testamento. Qualquer pessoa pode ser herdeira testamentária, incluindo amigos, instituições de caridade ou mesmo desconhecidos, respeitando-se a legítima dos herdeiros necessários (descendentes, ascendentes e cônjuge).

Herdeiros Necessários

Herdeiros necessários são aqueles que não podem ser excluídos da herança, exceto nos casos de deserdação previstos em lei. Eles têm direito à legítima, correspondente a 50% do patrimônio do falecido.

Testamento

O que é Testamento?

Testamento é um documento onde uma pessoa dispõe de seus bens para após sua morte. Pode ser alterado ou revogado a qualquer momento enquanto o testador estiver vivo.

Tipos de Testamento

  1. Testamento Público: Realizado em cartório, na presença de um tabelião e duas testemunhas.
  2. Testamento Cerrado: Escrito pelo testador ou por alguém a seu pedido, é levado ao cartório lacrado e só é aberto após a morte.
  3. Testamento Particular: Escrito pelo testador e assinado por ele e três testemunhas.

Benefícios do Testamento

O testamento permite ao testador garantir que sua vontade será cumprida após sua morte, beneficiando pessoas ou instituições que normalmente não seriam contempladas pela sucessão legítima.

Além disso, pode incluir cláusulas especiais, como a instituição de usufrutos ou fideicomissos.

Inventário: o que é, como fazer e quanto custa? - Negócios - Diário do Nordeste

Procedimento de Inventário e Partilha

Inventário

O inventário é o processo, judicial ou extrajudicial, que calcula os bens deixados pelo falecido, paga suas dívidas e distribui o patrimônio entre os herdeiros.

Inventário Judicial

Inventário judicial é obrigatório quando há herdeiros menores, incapazes, ou quando há desacordo entre os herdeiros acerca da divisão dos bens. Esse processo é supervisionado por um juiz e pode ser mais longo e dispendioso.

Inventário Extrajudicial

O inventário extrajudicial pode ser conduzido em cartório, desde que todos os herdeiros sejam maiores e capazes, estejam de acordo com a divisão dos bens e não exista testamento. Esse método é mais rápido e menos custoso.

Partilha

A partilha é a divisão formal dos bens entre os herdeiros, conforme a lei ou disposições testamentárias. Pode ser amigável, quando há concordância entre os herdeiros, ou litigiosa, em casos de disputas.

→ VEJA TAMBÉM: Dígito da Conta: Como Encontrá-lo no Meu Banco?

Implicações Fiscais

ITCMD

O Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD) é cobrado sobre a transferência de bens por herança ou doação. As alíquotas e valores variam conforme o estado, pois é um tributo estadual.

Imposto de Renda

A herança não é considerada renda, portanto, não há incidência de imposto de renda sobre a transferência de bens. No entanto, os ganhos gerados pelos bens herdados após a transferência podem ser tributados.

Deserdação

O que é Deserdação?

A deserdação é o ato pelo qual um testador exclui um herdeiro necessário da herança, com base em motivos específicos previstos em lei, como agressão física, injúria grave, abandono ou relações incestuosas.

Procedimento

A deserdação deve ser explícita em testamento, detalhando os motivos. O herdeiro deserdado pode contestar judicialmente, cabendo ao juiz decidir.

Usufruto e Fideicomisso

Usufruto

O usufruto é o direito de usar e desfrutar de um bem, que permanece na posse do nu-proprietário. Pode ser instituído por testamento, permitindo a uma pessoa usufruir de um bem enquanto viver, sem mudar a propriedade.

Fideicomisso

Fideicomisso é uma disposição testamentária que nomeia dois sucessores para os mesmos bens: o fiduciário, que recebe os bens inicialmente, e o fideicomissário, que os recebe após a morte do fiduciário ou no cumprimento de uma condição.

Conclusão

Compreender os diversos aspectos da herança é vital para a correta administração do patrimônio após o falecimento de um ente querido.

Desde a identificação dos herdeiros até o processo de inventário e partilha, passando pelas implicações fiscais, cada etapa requer conhecimento e atenção.

Seja por sucessão legítima ou testamentária, assegurar que os desejos do falecido sejam respeitados e que os herdeiros recebam suas devidas partes é crucial para evitar conflitos e garantir uma transição tranquila.

→ VEJA TAMBÉM: Como Fazer o Dinheiro Trabalhar para Mim? Veja 10 Formas Infalíveis!